• Marketing DLG

O Que Saber Sobre O Exame De Suficiência Do CFC (Conselho Federal De Contabilidade)

eO Que Saber Sobre O Exame De Suficiência Do CFC (Conselho Federal De Contabilidade)


Os estudantes de ciências contábeis têm um desafio a mais do que aqueles impostos normalmente pela sua graduação: o exame CFC.


Para muitos é uma prova preocupante e que causa muita insegurança, entretanto, ao conhecer um pouquinho mais sobre ela fica mais fácil de entender por onde começar para ser aprovado.


Nesse artigo trazemos as principais informações sobre esse exame de qualificação e algumas dicas para que o desempenho na prova seja satisfatório. Veja agora mesmo como passar de vez no CRC e pegar seu registro!


O que é o exame de suficiência do CFC


O exame CFC é algo relativamente recente na área da Contabilidade, mesmo que essa ciência seja uma das mais antigas (data de bem antes da Revolução Industrial, onde teve um papel fundamental, por sinal).


No Brasil, a contabilidade é contemplada pelo curso denominado Ciências Contábeis e é uma das graduações mais ministradas em todo o país. Foi instituído em 1945 pelo Decreto-Lei Nº 7.988/1945.


Entretanto, o exame de suficiência do CFC foi implementado somente a partir dos anos 2000. A resolução que oficializou o exame é a Resolução CFC n° 853/99.

Para quem está preocupado em passar nesse exame e deseja entender mais sobre ele, conferir a história da contabilidade é algo muito interessante. Trazemos um breve resumo:


No ano de 1939 a FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado) foi a precursora do primeiro curso de ciências contábeis no país. O time de docentes contava com grandes nomes, como Frederico Herrmann Júnior e Francisco D’Auria, Coriolano Martins.


Em 1945 ocorreu o Decreto-Lei supracitado, oficializando o curso de ciências contábeis.


No ano seguinte, em 1946, ocorreu a criação do CFC, ou seja, o Conselho Federal de Contabilidade. Neste mesmo ano foi publicado o Decreto-Lei Nº 9.925/1946, que constam quais são as responsabilidades e atribuições do profissional de contabilidade.


Em 2000, como já foi falado anteriormente, é inaugurado o exame de suficiência em contabilidade.


Só no ano de 2010 é que a prova começou a ser obrigatória, onde a primeira avaliação nesses termos ocorreu em 2011.


No ano de 2015 o Conselho Federal de Contabilidade publicou a Resolução n.º 1.486/15, onde há a regulamentação da prova.


Em linhas gerais, o exame CFC é muito semelhante à prova da OAB, onde os bacharéis em Direito só podem exercer como advogados após terem atingido a pontuação necessária para passar na prova.


Mas, no final das contas, qual é o objetivo desse exame? O intuito, assim como a prova da OAB, é assegurar que os profissionais da área de contabilidade estejam aptos a exercer as suas funções.


Devem estar devidamente preparados para atender as expectativas do mercado e de empresas.

É, de forma geral, um exame de qualificação. Muitos questionam a sua obrigatoriedade, visto que a maioria das profissionais que exigem cursos superiores não requer provas. Entretanto, é interessante olhar o exame de suficiência com bons olhos.


Dá mais credibilidade para um recém-formado, por exemplo. Pois a aprovação mostra que mesmo não havendo muita experiência no ramo, o profissional mais jovem tem domínio das capacidades da ciência contábil.


Quem pode fazer o exame para tirar CRC



Exame do CFC


Então, quem pode fazer o exame CFC, que também pode ser chamado de Exame de CRC?


Ele só pode ser realizado pelos bacharéis em Ciências Contábeis. Entretanto, somente por aqueles que foram formados depois de junho do ano de 2010.


O aluno que estiver cursando o último ano de contabilidade também poderá se inscrever na prova. Dessa forma, é possível terminar a faculdade com o diploma na mão e a aprovação do CRC em outra!


Muitos alunos têm receio de prestar o exame de qualificação e não passar de primeira e, por isso, resolvem postergar o teste. Veja bem, caso a aprovação não ocorra é possível prestar a prova novamente até que a pontuação mínima seja atingida.


E é realmente muito interessante prestar o exame no último ano de faculdade, mesmo que não se sinta preparado. É possível ter uma noção mais palpável do que é efetivamente o exame, como são as questões, quais são os principais temas e coisas do gênero.

Além disso, com o resultado em mãos é possível avaliar em qual das áreas da contabilidade houve um menor aproveitamento. Isso é um direcionamento para as disciplinas que merecem mais atenção nos estudos.


Quando é a prova do CFC 2020


De acordo com a legislação vigente o exame CFC deve ser aplicado duas vezes ao ano simultaneamente e isso vale para todo o território nacional. Os meses de aplicação também são fixados: março ou abril (primeira aplicação) e setembro ou outubro (segunda aplicação).

A data oficial, bem como o horário, devem ser lançadas com 90 dias (cerca de 3 meses) de antecedência, no mínimo.


No ano de 2020 as inscrições foram liberadas entre os dias 10 de fevereiro e 12 de março. O calendário oficial era o seguinte:


Inscrições: 10 de fevereiro a 12 de março

Isenção da taxa: 10 a 12 de fevereiro

Aplicação da prova: 19 de abril


Então, em tese, já era para a prova de suficiência ter sido aplicada no primeiro semestre, correto? Não. Assim como diversos outros eventos, a pandemia causada pelo covid-19 inviabilizou a realização da prova.


A principal medida preventiva para evitar a contaminação pelo coronavírus é o distanciamento social, medida que vai à contramão de uma prova feita por diversas pessoas em uma mesma sala.


O órgão responsável pela organização do exame de qualificação, a Consuplan, ainda não deu uma data para a realização dos exames.


Entretanto, de acordo com o desenvolvimento do covid-19 no Brasil e avaliando como o país está levando as medidas preventivas, muito provavelmente a prova será adiada por alguns meses. Há quem diga que nem poderá ser realizada este ano.


Para muitas pessoas esse quadro é assustador, pois inviabiliza a atuação no mercado de trabalho. Entretanto, não há o que se possa fazer no momento, pois o motivo de suspensão é de força maior.


É importante usar o tempo de quarentena e o adiamento do exame CFC para, se possível, estudar o conteúdo da prova. Mesmo sendo um momento muito delicado e complicado, ele pode servir para garantir a aprovação no exame de qualificação.


Na última parte desse artigo traremos as principais dicas para aumentar a produtividade nessa quarentena e, assim, garantir uma aprovação no exame CRC.


Como fazer a inscrição para o exame do CFC


No caso do ano de 2020, as inscrições para o exame CFC já ocorreram, no entanto, não se sabe como irão prosseguir no segundo semestre.


De qualquer maneira, o período de inscrição é previamente divulgado e normalmente se estende por um mês.


A inscrição do exame de qualificação pode ser feita através do site da Consuplan (que você pode acessar clicando nesse link). Essa é uma empresa que venceu no processo de licitação feito pelo Conselho e, hoje, é a responsável pela organização da prova.


Logo na primeira página do site há a seção do exame do CFC. Ao acessá-lo no momento você se depara com a mensagem de adiamento da prova, como pode conferir aqui.

O exame de suficiência do primeiro semestre de 2020 custou o valor de R$110,00.


Como é a prova do CFC


Uma das principais dúvidas dos futuros concorrentes é sobre o estilo da prova. De fato, saber como ela funciona é muito importante para começar a se preparar.


De acordo com a legislação, a o exame CFC deve conter 50 questões objetivas. Essas, por sinal, valem um ponto cada uma, ou seja, têm pesos iguais.


As questões são múltipla escolha e o candidato poderá escolher entre as opções A, B, C e D.


Outra dúvida recorrente é a respeito do uso de calculadoras. É, sim, permitido, mas desde que o modelo não grave informações (para assegurar que não haverá colas).


Para a aprovação no exame é necessário que o candidato acerte, no mínimo, 50% da prova. Então, é preciso acertar 25 questões. Após a aprovação é possível esperar até 2 anos - contados da publicação no Diário Oficial da União - para requerer o registro.


O registro profissional pode ser requerido em qualquer Conselho Regional de Contabilidade e vale para as categorias de técnico em contabilidade ou contador.


O documento deve constar qual a categoria escolhida e, também, a data de validade que é prevista na legislação.


Muitos se questionam se é possível mudar a categoria, ou seja, passar de Técnico para Contador. Para isso é necessário se submeter novamente o exame de CFC com prova específica.


O que estudar para a prova do CFC


Mas, afinal, o que é preciso estudar para passar no exame CFC? Na realidade, a prova é um apanhado de tudo o que é aprendido na faculdade de ciências contábeis.


O conteúdo pode até parecer pequeno na ementa, mas cada tema abrange muitas questões e é necessário dedicar bastante tempo de estudo para conseguir estar por dentro de todos os temas.


O exame específico para os Técnicos em Contabilidade engloba as seguintes áreas das ciências contábeis:


o Matemática

o Português

o Conceitos gerais da contabilidade

o Princípios de direito público e privado

o Noções de legislações

o Área de contabilidade de custos

o Princípios de Ética profissional

o Normas Brasileiras sobre contabilidade

o Fundamentos da Contabilidade

Exame CFC para os Bacharéis em Ciências Contábeis englobam as seguintes áreas da contabilidade:


o Português

o Matemática financeira

o Conceitos gerais da contabilidade

o Princípios de direito público e privado

o Noções de legislações

o Área de contabilidade de custos

o Princípios de Ética profissional

o Normas Brasileiras sobre contabilidade

o Fundamentos da Contabilidade

o Perícia Contábil

o Contabilidade Pública

o Contabilidade Gerencial

o Teoria de Contabilidade

o Auditoria Contábil

o Conhecimentos econômicos, políticos e sociais do Brasil (conhecimentos gerais)


O Conselho Federal de Contabilidade é obrigado a divulgar se houver alguma mudança no conteúdo previsto para a prova, visto que nenhum candidato pode sair prejudicado por não ter estudo algo que estava fora do previsto.


Como fazer para passar na prova de CFC


Bom, agora você já sabe o que é exame CFC, quem pode realizá-lo, como é a prova, as questões sobre a data de realização no primeiro semestre de 2020, como funciona a prova e qual é o conteúdo programático para o CRC.


Mas, no final das contas, como é possível acertar mais da metade da prova e passar no exame de qualificação? É um exame difícil? Veja bem, o CFC não é uma prova com questões altamente complicadas, mas como seu conteúdo é muito vasto é necessária muita dedicação.


Então, para lhe ajudar, trouxemos algumas dicas de estudos para auxiliar aqueles que pretendem prestar o exame:


Tenha bons materiais

Hoje em dia é possível encontrar muita coisa na internet, mas nem sempre o conteúdo é de qualidade (e até mesmo confiável). Então, o mais recomendado é estudar a partir de materiais bem conceituados.


Estude de acordo com o conteúdo programático passado

Separe o estudo nos tópicos elencados no capítulo anterior. Isso irá direcionar o estudo e o aprendizado ficará mais linear.


Faça resumos

Quando escrevemos aquilo que lemos o nosso cérebro assimila melhor as informações e a chances de esquecê-las são bem menores.


Faça muitos exercícios

A melhor forma de estudar é praticando. Ler o mesmo livro várias vezes não é a garantia de que efetivamente está entendendo tudo sobre ele (principalmente em temas que envolvem problemas de exatas).


Busque questões do exame CFC

Ao fazer as questões de exames CRC antigos é possível treinar e ainda entender melhor qual é o estilo das perguntas.


Foco

E, claro, é necessário foco e dedicação para conseguir atingir a nota suficiente no exame.


Resumindo, se você está no começo, no final ou até mesmo ainda não foi aprovado no exame CFC, entende que ele é algo inevitável. Veja sua obrigatoriedade como uma oportunidade de abranger seu conhecimento e experiência no assunto!