• Marketing DLG

50% das empresas fecham antes de completar 5 anos


Mais da metade das empresas abertas no Brasil fecham antes de completar 5 anos. Veja como fugir dessa estatística.

Que tal tocar o próprio negócio? Estar a frente de decisões estratégicas?

E ter a liberdade de escolher o destino e propósito de seu trabalho?

Quem sabe até depois de um tempo atingir a independência financeira?

Ou transformar sua ideia em um grande negócio?

Muitas pessoas tem o sonho de ser um empreendedor de sucesso.

Em um período como o atual, existe também o empreendedorismo por necessidade.

Pessoas que perderam o emprego e não conseguem se realocar, arregaçam as mangas e começam a trabalhar por conta própria.

Tudo isso é excelente. O empreendedorismo é um grande motor para o desenvolvimento econômico do país.

“De 2006 a 2016 foi gerado mais de meio trilhão de reais através dos pequenos negócios, que teve um crescimento constante mesmo com a crise no país. Além disso, os pequenos negócios geraram 10,6 milhões de empregos. Já a média e a grande empresa, nesse mesmo período, foram responsável por 963 mil fechamentos de empregos enquanto que os pequenos negócios fizeram foi gerar mais de 10 milhões”

Fonte: http://cidadeverde.com/blogdocongresso/82880/em-10-anos-micro-e-pequenas-empresas-geraram-106-empregos-no-brasil

Mas nem sempre o sonho é atingido, e muitos empreendimentos morrem no caminho.

Dados indicam que mais da metade das empresas não sobrevivem além de 5 anos.

"Das 694,5 mil empresas abertas em 2009, apenas 275 mil (39,6%) ainda estavam em funcionamento em 2014. Após o primeiro ano de funcionamento, mais de 157 mil (22,7%) fecharam as portas."

Fonte: https://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2016/09/14/de-cada-dez-empresas-seis-fecham-antes-de-completar-5-anos-aponta-ibge.htm#fotoNav=12

Provavelmente isso é culpa de toda essa burocracia e impostos que temos no Brasil. Afinal, aqui é muito difícil um negócio dar certo...

Vamos analisar isso mais a fundo. Qual o índice de empresas que sobrevivem mais de 5 anos no Reino Unido?

"A maioria (55 por cento) das pequenas e médias empresas (PMEs) não sobrevivem mais de 5 anos [...]."

Tradução livre, Fonte: http://smallbusiness.co.uk/majority-of-small-companies-do-not-last-beyond-five-years-2472867/

E que tal nos Estados Unidos?

"[...] Aproximadamente 50% das novas empresas sobrevivem 5 anos ou mais, e cerca de 1/3 sobrevive 10 anos ou mais."

Tradução livre, Fonte: https://www.successharbor.com/percentage-businesses-fail-09092015/

Com certeza melhor que no Brasil. Mas ainda sim, pelo menos metade das empresas não sobrevivem mais de 5 anos.

A maioria das empresas não sobrevivem mais de 5 anos. Seja no Brasil, Reino Unido ou Estados Unidos, qual é o grande problema?

O Planejamento Inicial

O grande problema é a falta de preparo e planejamento inicial.

Muitos empreendedores se jogam de cabeça sem ter ideia do que irão encarar pela frente.

Antes de começar um novo empreendimento, veja os pontos abaixo. Ou até mesmo antes de registrar um negócio que já está sendo tocado de maneira informal.

O que faz uma empresa quebrar?

Prejuízo?

Falta de vendas?

Alavancagem?

Não.

Todos esses fatores podem contribuir para levar uma empresa para a situação que a quebra de fato:

A falta de caixa

Uma empresa pode ter prejuízo por anos. Não realizar uma venda durante um longo período. Estar hiper alavancada. E mesmo assim, sobreviver se tiver caixa para passar por essa fase.

A grande questão então passa a ser a gestão de caixa do seu negócio.

Antes de pensar em iniciar sua empresa, você precisa analisar alguns pontos chave em relação a gestão do seu caixa.

Nesse post iremos considerar 2 desses pontos chave.

1º Ponto: Capital inicial

Para estimar o capital inicial do seu negócio, até que seja possível que ele se mantenha, pense em:

a) Qual o investimento inicial que o negócio demanda para começar a operar?

Considere itens como:

  • Gastos com a abertura de empresa;

  • Aquisição de equipamentos;

  • Aquisição de móveis;

  • Aquisição de computadores.

b) Qual o custo fixo para manter o negócio rodando?

Nessa questão você deve pensar no custo de manutenção inicial. Itens como:

  • Aluguel;

  • Luz;

  • Fornecedores fixos;

  • Material de consumo;

  • Reposição do ativos;

  • Sua remuneração;

  • Salários.

c) Qual o custo de aquisição de clientes necessários para o negócio atingir um ponto de equilíbrio?

Aqui você deve verificar quanto te custa para conseguir seus clientes.

Em alguns casos o custo pode ser próximo de zero. Um exemplo seria a aquisição de clientes por indicação.

Em outros casos pode ser muito alto. Como por exemplo, em atividades como prestação de serviços de alto valor e com ciclo de vida longo.

Pense em gastos como:

  • Marketing;

  • Publicidade;

  • Reuniões com interessados;

  • Amostras.

Depois desses passos, você terá também uma estimativa do tempo que vai demorar até o seu negócio gerar um fluxo de caixa positivo.

Esse tempo pode variar muito, e depende de vários fatores.

Um prestador de serviços, pode conseguir iniciar com uma carteira de clientes legada e ter fluxo positivo no primeiro mês.

Uma loja com produtos de alto valor, que precise de um estoque variado, já tenderia a demorar mais.

Nessa análise é importante ter bastante senso crítico.

Se nas estimativas, a operação não atingir em algum momento o fluxo positivo, reveja suas premissas.

Considere também outro fator: talvez sua ideia não seja um negócio rentável no momento. Tente amadurecer mais a ideia.

Em um ponto mais crítico, considere que certos negócios simplesmente não conseguem chegar ao fluxo de caixa positivo.

Faça testes pequenos e pesquise

Se você quer abrir um negócio de consultoria, por exemplo, antes de investir você pode testar captar 1 cliente como pessoa física.

Se for um produto, terceirize a produção de uma quantidade pequena e veja se tem demanda.

Pergunte a terceiros se existe interesse no que você tem a oferecer.

Pesquise na internet outras empresas que possam estar fazendo o que você quer fazer.

Tente entender como fazem para captar clientes, produzir, contratar, etc.

A estimativa

A etapa da estimativa do fluxo de caixa é essencial para quem está começando o negócio do zero.

Porém, como o nome já diz: é apenas uma estimativa. Não se preocupe em ter um valor exato até o centavo.

O objetivo é ter uma ideia da ordem de grandeza, e da dinâmica da gestão do fluxo de caixa do negócio.

O ideal é que o capital inicial seja superior ao valor encontrado na sua estimativa.

Se na realidade o fluxo positivo for maior, ótimo! Você vai estar com mais dinheiro para expandir.

Se for menor, se algum custo ou desembolso inesperado surgir, existirá um colchão para amortizar o impacto.

E acredite, provavelmente algo inesperado irá surgir.

2º Ponto: Origem do capital inicial

De posse da sua estimativa de capital inicial, mais um colchão para imprevistos, de onde vai sair o dinheiro para iniciar o negócio?

Caso tenha uma reserva superior ao capital inicial essa parte não será um problema.

Só não se esqueça de manter também uma reserva para emergências pessoais.

Porém, caso não tenha o dinheiro disponível, muito cuidado com empréstimos ou com garantias pessoais. Se possível, evite totalmente.

Tente conseguir um sócio para entrar com você no negócio. Esse é inclusive um ótimo teste para saber se a ideia atrai interesse.

Se você conseguir alguém para colocar o dinheiro em sociedade, já é um bom sinal de que mais alguém viu potencial na sua ideia.

Todos nos conhecemos as histórias de pessoas que pegaram empréstimos no cheque especial e abriram um negócio que virou uma grande empresa.

Porém, pense no seguinte: se isso fosse comum, essas pessoas chamariam tanto interesse? Não.

Elas chamam tanta atenção exatamente porque são exceções.

O mais comum nesses casos é quebrar a empresa e o empreendedor.

Caso mesmo assim, decida iniciar um negócio com um empréstimo:

a) Muito cuidado com a taxa de juros. Dificilmente você conseguirá ser bem sucedido com um capital inicial que demande juros de 5% a.m., por exemplo.

b) Reveja a calculo da estimativa de capital inicial para começar o negócio. O peso das amortizações irá mudar a estimativa. Isso será inclusive um bom exercício para entender o impacto de iniciar o negócio com empréstimos.

Negócio já operando e não regularizado

Caso já possua um negócio com fluxo de caixa positivo, porém de maneira informal, avalie como a formalização irá impactar o fluxo de caixa.

Nessa conta devem ser considerados itens como:

  • Custo inicial para abrir e regularizar a empresa;

  • Tributos da empresa regularizada;

  • Despesas fixas adicionais de manter a empresa regular.

Acontece de um negócio ser viável informalmente, porém não ser quando formalizado.

Nesses casos, pode ser interessante a opção de regularizar como uma MEI, que possui poucos custos.

Conclusão

Um dos principais itens para definir o sucesso do seu negócio será a gestão do fluxo de caixa.

Diversos fatores irão influenciar nesse fluxo. Aqui arranhamos apenas o básico.

Esses fatores podem ser estudados mais profundamente, conforme os primeiros passos forem realizados.

Não deixe de fazer essa estimativa antes de iniciar o seu negócio.

Essa pode ser a diferença para estar entre os negócios que sobrevivem.

Conheça o passo a passo para abrir sua empresa no RJ.