• Marketing DLG

Declaração de Imposto de Renda para autônomos: direto ao ponto


Geralmente, muitos profissionais têm dúvidas no momento de fazer a declaração de imposto de renda. O temido leão ainda é alvo de muitas confusões e erros na hora de realizar sua prestação de contas. Com profissionais autônomos, a dúvida é até maior, uma vez que esses profissionais possuem um método mais específico de executar a declaração.

Saiba que nem todos os profissionais autônomos precisam fazer a declaração do imposto de renda. No caso, apenas especialistas com ganhos brutos anuais acima de R$ 28.123,91 estão obrigados a declaração. É importante também verificar se o contribuinte está enquadrado em algum outra parâmetro que possa obrigá-lo a entrega da declaração além do rendimento bruto tributável. Para saber mais, veja nossa página especial sobre o assunto.

Dentro dessa classe, você como profissional precisa seguir algumas etapas obrigatórias para realizar a declaração de modo certo. Embora esse ato seja um pouco parecido com quem é um profissional assalariado, um trabalhador autônomo precisa emitir um recibo com todas as suas despesas necessárias para o seu exercício profissional. Como autônomo, seus rendimentos precisam ser informados na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior, tendo a obrigação de recolher seu imposto de renda mensalmente no carnê leão.

Como realizar a declaração do imposto de renda para quem é autônomo?

Antes de tudo, é preciso deixar claro que você tem duas alternativas de executar esse processo: de modo simplificado ou no modo completo. As duas maneiras possuem similaridades, mas são feitas de formas diferentes, e podem ser escolhidas de acordo com a característica do seu trabalho, sendo advogado, dentista, médico, etc.

Declaração Simplificada

Na forma simplificada, você precisa informar todos os valores tributáveis recebidos no ano anterior e em seguida, fazer o montante no valor de 20% sobre o cálculo base. Se seu exercício profissional não requer muitas despesas, essa é uma ótima alternativa, uma vez que o valor a partir de 2017 – de acordo com a Receita Federal – não pode ultrapassar a quantia de R$ 16.754,34.

Declaração Completa

Essa é mais complexa e um pouco mais complicada de se fazer. Dentro da declaração completa do imposto de renda, o profissional autônomo precisa detalhar todas as despesas tributárias, uma por uma, que ultrapassam o valor de R$ 16.754,34. É importante lembrar que na declaração completa, até mesmo despesas como planos de saúde, educação, transporte e gastos com outras áreas precisam ser detalhadas, inclusive as despesas com os dependentes do seu serviço.

Carnê leão

Mesmo no caso de não estar obrigado a declaração de imposto de renda anual, seus ganhos precisam ser lançados no carnê leão. E aqui vai uma dica importante: mesmo que seus ganhos advenham de pessoa física ou jurídica, é essencial informar o CPF (no caso, pessoa jurídica) ou o CNPJ (pessoa jurídica) à Receita Federal. Se for mais oportuno, até as fontes pagadoras podem informar seus dados à Receita, com o devido pagamento do carnê leão.

Dentro do programa do carnê leão, ocorre o cálculo do IR e emite-se o DARF, uma guia para o profissional autônomo se orientar na hora de recolher o imposto ou pagar o carnê em qualquer agência bancária. O pagamento precisa ser feito até o último dia útil do mês seguinte ao recebimento do pagamento.

Alternativas para ajudar a realizar a declaração

Mesmo com tantas informações, alguns profissionais ainda vão ter alguns desafios na hora de prestar contas com o leão. Algumas dicas podem ajudar a facilitar a ação:

• Peça ajuda a um contador: um profissional de contabilidade poderá lhe ajudar a colocar suas contas em dia e a estabelecer o tipo certo de declaração (simplificada ou completa);

• Mantenha um livro-caixa: organizar suas despesas é um recurso benéfico para ver o que entra e o que sai na execução do seu serviço. Contas de água, luz, telefone, internet, material de expediente e outros itens, mesmo sendo para a fonte pagadora ou não, podem ser incluídos na lista do livro-caixa e dar um vislumbre mais claro de suas despesas mensais.

Atente-se a quem seu serviço é destino e qual a fonte pagadora. Compreenda que o método varia segundo a fonte e ajude a prevenir infortúnios na hora de preencher formulários e solicitar documentos para comprovação de renda, por exemplo.

Dica importante

Em alguns casos, mesmo não estando obrigado a declaração do imposto de renda anual, pode ser vantajoso realizar a entrega. Isso normalmente ocorre quando em um determinado mês o profissional sofre retenção do imposto de renda, ou recebe um pagamento de maior montante que gere imposto a pagar no carnê leão. Porém, ao analisar-se o ano completo, verifica-se que o imposto não é devido. Caso em que se solicita através da declaração de imposto de renda a restituição, que será depositada em sua conta-corrente pela Receita Federal.

Precisa de ajuda?

Caso tenha dúvidas, ou precise de ajuda com sua declaração, entre em contato.


Rua Doutor Borman, 23, sala 1017 - CEP: 24.020-320 - Centro - Niterói/RJ - Telefone: (21) 2620-2886 - E-mail: contato@dlgconsult.com - CRC:RJ-005484/O-4